Intercâmbio na Graduação

Muitos alunos optam por complementar sua formação em uma instituição estrangeira. A Poli apoia a iniciativa e mantém convênio com muitas instituições através da CRInt (Comissão de Relações Internacionais). Se você se interessa por fazer parte da sua graduação no exterior ou passar um tempo cursando algumas disciplinas no exterior, procure a CRInt.

Nesta página você encontrará um conjunto de respostas para dúvidas comuns de alunos que querem ir ou estão voltando de intercâmbio. Consulte-a antes de entrar em contato sobre suas dúvidas!

Os dois programas de intercâmbio oficiais são o Aproveitamento de Estudos (AE) e Duplo Diploma (DD). 

  • AE: Você pode cursar qualquer número de disciplinas, desde que atenda o edital no intercâmbio (alguns exigem um número mínimo de créditos). Não há exigência de TCC na maioria dos casos e você não recebe um diploma da universidade de destino, mas você pode ir a qualquer momento do curso (alguns editais exigem uma carga mínima cumprida aqui) e pode aproveitar todas as disciplinas que cursou no exterior. No retorno, você elimina as disciplinas que forem consideradas equivalentes (veja abaixo a seção “Após o Intercâmbio”).
  • DD:  A grade é fixa (existem disciplinas obrigatórias ou grupos de disciplinas em que você precisa escolher um número mínimo de créditos), há TCC na maioria dos casos e há estágio em alguns acordos. Você recebe diploma da universidade de destino quando se forma na Poli (você receberá o diploma da universidade estrangeira e o da Poli). No retorno, você elimina um conjunto pré-determinado de disciplinas que cursaria na Poli, que depende do acordo e de quando durante o seu curso na Poli você irá para o DD.

Antes de ir para o intercâmbio

P: Gostaria de fazer intercâmbio, quem devo contactar no PCS?

R: O PCS não oferece intercâmbio pois há um setor na Poli que é específico para isso, a CRInt. A CRInt promove palestras de orientação e mantém uma página com as ofertas disponíveis. A CoC Computação é a responsável pelos alunos em intercâmbio ligados aos cursos do PCS e há um professor responsável, delegado pela CoC.

P: Quando devo entrar em contato com a CoC Computação?

R: Só é necessário entrar em contato com a CoC Computação um pouco antes do seu retorno, para aprovar o plano de conclusão. Todas as demais situações devem ser tratadas diretamente com a CRInt (caso necessite de intervenção da CoC Computação, a CRInt te avisará explicitamente). Leia todo o FAQ para demais situações nas quais você pode contactar a CoC Computação.

P: Como entro em contato com a CoC Computação?

R: Procure a secretaria do PCS ou envie email para a CoC Computação e se informe quem é o professor responsável pelos intercâmbios (muda a cada 2 anos).

P: A CoC Computação precisa aprovar o intercâmbio?

R: Não. Você pode fazer o intercâmbio que quiser, inclusive por conta própria. No entanto, nunca deixe de contactar a CRInt.

P: A CRInt precisa saber que irei fazer intercâmbio?

R: Sim. Mesmo que você procure e consiga um intercâmbio por conta própria, a CRInt precisa ser avisada para que faça os trâmites legais no Brasil. Jamais saia para intercâmbio sem avisar a CRInt pois você pode perder o seu vínculo de aluno com a USP.

P: Quem monta o plano de estudos?

R: O plano de estudos pode ser montado pelo próprio aluno. Se você tem algum orientador (e.g. tutor, orientador de IC, etc.), sugerimos que monte o plano com ele, pois assim conseguirão escolher as disciplinas mais adequadas para a sua formação. Caso opte por montar sozinho, no AE ou DD, procure complementar sua formação com disciplinas que não são oferecidas aqui ou, somente no AE, procure disciplinas que possam ser elegíveis para equivalência de disciplinas no seu retorno. Se precisar de ajuda, entre em contato com a CoC Computação.

P: O plano de estudos precisa ser aprovado pela CoC Computação?

R: Dependendo do acordo com a escola, o departamento pode ser solicitado pela CRInt a aprovar seu plano de estudos no exterior, e a responsável por esta aprovação no PCS é a CoC Computação. Consulte a CRInt sobre o formulário correto a preencher pois os mesmos variam de acordo com a escola de destino e o curso escolhido. Uma vez preenchido o formulário com o plano de estudos, a CRInt te orientará a entrar em contato com o departamento para aprovação pela CoC caso seja necessário. A CoC Computação não costuma interferir nas escolhas dos alunos, porém caso você opte por muitas disciplinas que não tem relação alguma com o seu curso, você pode ser solicitado a alterar o seu plano de estudos.

P: Posso fazer idiomas ou disciplinas não ligadas à computação?

R: Sim. Este tipo de disciplina é considerado fora da área de concentração (que não fazem parte do plano pedagógico do seu curso e não tem relação alguma com o mesmo).

  • DD: Veja no seu acordo de DD a quantidade máxima de disciplinas fora da área de concentração que é permitido cursar. 
  • AE: Não há exigências, porém disciplinas fora da área de concentração só podem ser aproveitadas no retorno para eliminar créditos de optativas livres do seu curso na Poli.

E.g. se você cursar “Machine Learning” pode ou não conseguir eliminar Inteligência Artificial (disciplina obrigatória para os cursos do PCS), a depender da carga e ementa da disciplina estrangeira. Se cursar Francês, Alemão ou Desing de Aviões (mesmo sendo uma disciplina de engenharia), somente poderá eliminar créditos de optativas livres.

P: Onde consigo bolsa de estudos?

R: Há várias bolsas disponíveis mas o PCS não oferece bolsa diretamente. Procure a CRInt ou a AUCANI para se informar.

P: Posso ir para o país do intercâmbio antes de terminar o semestre ou módulo acadêmico na Poli?

R: Muitos alunos vão para o exterior antes do início do programa de AE/DD para cursar idiomas ou para ambientação. No entanto, a saída antecipada não faz parte do AE/DD e você pode ser prejudicado caso falte ou deixe de realizar alguma avaliação das disciplinas que ainda estiver cursando na Poli. Se a sua saída antecipada é oficial (i.e. você está em um programa cujo início tem sobreposição com o término na Poli), sugerimos que explique a situação para os professores de cada disciplina e empenhe-se para ter nota e frequência suficientes para aprovação antes da ida. Não há abono de faltas nem dispensa de provas ou disciplinas.

P: Preciso me preparar antes de ir para o intercâmbio?

R: Sim. Há uma documentação legal que precisa ser providenciada (incluindo vistos e seguros) e a CRInt o orientará sobre todos os passos. Também sugerimos que você aprenda o idioma do país de destino com antecedência (em vários acordos é exigido algum nível de proficiência).

Durante o intercâmbio

P: Como fica minha matrícula na Poli?

R: A CRInt irá matriculá-lo em uma disciplina especial para intercambistas, dessa forma você não perde o vínculo com a USP. No seu histórico aparecerá “Cursando Disciplinas no Exterior”.

P: Posso cursar disciplinas na Poli?

R: Não. Enquanto você estiver matriculado em outra instituição, você não pode cursar disciplinas na Poli. Sua matrícula estará com a instituição de destino e não na Poli e há implicações sérias se você se matricular em disciplinas da USP ou de outra instituição sem aval da universidade estrangeira.

P: Posso estender meu intercâmbio?

R: Sim. Há procedimentos diferentes para AE e DD. 

  • AE: A extensão depende da universidade de destino concordar com a extensão e a CRInt só faz a intermediação com a CoC Computação se precisar de aprovação. Para solicitar a extensão de AE, procure diretamente a instituição de destino e, se for aprovada, entre em contato com a CRInt.
  • DD: A extensão requer justificativa e precisa de aprovação da CoC Computação. Para solicitar extensão de DD, entre em contato com a CRInt diretamente e explique o motivo, assim eles o orientarão em relação aos procedimentos formais (que podem incluir aprovação da instituição de destino). A CRInt te informará o momento correto de entrar em contato com a CoC Computação para obter a aprovação.

Os pedidos de extensão mais comuns envolvem estágio no exterior ou cursar disciplinas extras. Nunca deixe de avisar a CRInt sobre qualquer mudança para não correr o risco de ficar sem matrícula na USP.

P: Posso antecipar a volta do intercâmbio?

R: Sim. Caso já tenha cumprido as exigências do seu intercâmbio, entre em contato com a CRInt para antecipar seu retorno. Se você chegar antes do começo do semestre, você pode fazer um estágio extra curricular no Brasil ou aguardar o início do semestre. A CRInt te orientará qual a melhor opção e caso necessário a secretaria do PCS providenciará sua matrícula. Veja também a pergunta “O que é plano de conclusão?” na próxima seção.

Se você não cumpriu as exigências do seu intercâmbio e deseja antecipar a volta, entre em contato imediatamente com a CRInt.

Após o intercâmbio

P: Preciso avisar o PCS ou a CRInt do retorno?

R: O PCS não precisa ser avisado e a CRInt já sabe quando você retornará. Lembre-se de montar o plano de conclusão para voltar já matriculado nas disciplinas que precisa.

P: O que é plano de conclusão?

R: Quando você retornar, deve ter um plano de conclusão de curso que contemple as disciplinas do seu curso de origem na Poli que ainda faltam para você se formar. Este plano é feito em acordo com o PCS e precisa de aprovação da CoC. Você deve montá-lo e enviar para aprovação com antecedência suficiente para retornar com sua matrícula na Poli já solicitada. Começar a montar o plano aproximadamente 2 meses antes do retorno é suficiente para atender todos os processos de aprovação comuns.

P: O PCS monta o plano de conclusão para mim?

R: Não. Você deve montar o plano sob supervisão de um professor do PCS. No momento da montagem, entre em contato com a CoC Computação (veja no início deste documento como entrar em contato).

P: O que preciso para montar o plano de conclusão?

R: Do transcript da universidade de destino (equivalente ao histórico), da data de retorno prevista, do histórico da USP atualizado e do seu número USP. Quando entrar em contato com a CoC Computação para montagem do plano, envie todas estas informações para agilizar o processo. Se já tiver um esboço do plano, envie com a documentação pois isto acelera o processo consideravelmente. Veja a primeira pergunta para saber como entrar em contato.

P: Que disciplinas devo cursar no retorno?

R: Depende muito do seu curso e do que cursou no exterior (veja os itens abaixo para orientações padrão). De forma geral, você precisa integralizar o curso, ou seja, precisa cumprir todas as exigências que o MEC/CNE/CREA e a USP exigem, de acordo com o plano pedagógico do seu curso.

P: Posso aproveitar meu TCC?

R: Na maioria dos casos não. O TCC para master europeu pertencente ao tratado de Bolonha não cumpre os requisitos de TCC do Brasil. No entanto, se o seu TCC estrangeiro está relacionado com computação, você pode estendê-lo no Brasil de forma que cumpra os requisitos brasileiros, sob supervisão de um orientador do PCS, e defendê-lo novamente aqui. Na Poli, por exemplo, exigimos protótipo para os cursos de engenharia (o TCC deve ser um projeto de engenharia), e uma monografia mais detalhada que a necessária para o tratado de Bolonha. Para aproveitar o seu TCC estrangeiro, entre em contato com a CoC Computação descrevendo brevemente o que fez para que um orientador possa ser sugerido. Você também pode entrar em contato diretamente com um professor do PCS que possa orientá-lo, mas não deixe de avisar a CoC Computação. Caso esteja fazendo DD, pode ser interessante você entrar em contato antes de começar a fazer o TCC estrangeiro, mas quando já possuir orientador e tema estrangeiro definido. Dessa forma, o seu orientador do PCS vai acompanhar tanto o TCC estrangeiro (como orientador estrangeiro) quanto o TCC brasileiro (após o retorno), facilitando o processo. Se possível, escreva seu TCC estrangeiro em inglês para também aproveitar o texto da monografia.

P: Posso aproveitar o meu estágio no exterior?

R: Sim. No entanto, seu estágio deve ter sido feito como extra curricular. Todo estágio do AE é considerado extra curricular e no DD você só pode aproveitar os estágios que forem feitos a mais do que o exigido pela instituição de destino para integralização do DD. Caso você tenha horas de estágio extra, entre em contato com a CoC Computação (redirecionará você para a comissão de estágios do PCS) no momento de fazer o plano de conclusão de curso para o seu retorno, com a documentação comprobatória, uma carta do seu empregador ou da universidade de origem contendo o número de horas estagiadas, uma descrição do que foi realizado durante o estágio e uma apreciação breve do seu supervisor de estágio (se houver). TCCs não são aproveitáveis como estágio.

P: Posso fazer estágio no exterior pela Poli?

R: Sim. No entanto, lembre-se que enquanto no AE ou DD, você é aluno da instituição estrangeira e quem deve assinar seu estágio é ela e não a Poli. Caso você encerre o intercâmbio e queira continuar com o estágio, entre em contato com a CoC Computação com antecedência de pelo menos 2 semanas para que o estágio possa ser formalizado (pode ser necessário matrícula em disciplina de estágio). A CoC Computação redirecionará você para a comissão de estágios do PCS.

P: Posso fazer estágio no Brasil enquanto em intercâmbio?

R: Sim. Neste caso, quem autoriza e assina o seu estágio é a instituição de destino estrangeira e a Poli não precisa ser envolvida.

P: Posso pedir equivalência de disciplinas cursadas no exterior?

R: Sim. As disciplinas que possuírem ementa com similaridade maior que 70% e carga compatível com uma disciplina do seu curso (mesmo obrigatória ou eletiva) são elegíveis para equivalência. Para consultar sobre a equivalência, entre em contato com a CoC Computação com pelo menos 2 meses de antecedência com a documentação para o plano de conclusão de curso e a ementa das disciplinas (normalmente pode ser obtida online). A CoC te orientará sobre os formulários a serem preenchidos e como fazer o pedido para o Serviço de Graduação. A análise de equivalência demora pois cada disciplina será analisada pelo professor responsável na USP. Não há análise prévia de equivalência, portanto você precisa ter cursado a disciplina no exterior e ter o transcript em mãos para solicitá-la.

No AE, todas as disciplinas podem ser usadas para solicitar equivalência, mas no DD somente as disciplinas cursadas como extra curriculares (que não fazem parte do programa de DD ou não foram usadas para cumprir os créditos exigidos pelo mesmo) podem ser usadas para solicitar equivalência. Cada disciplina cursada no exterior só pode ser usada uma vez para pedir equivalência e pode-se usar um conjunto de disciplinas para solicitar equivalência (e.g. usar várias disciplinas para solicitar equivalência de uma ou usar uma disciplina para pedir equivalência de mais de uma), respeitados os critérios em relação a ementa e carga do conjunto.

P: Posso pedir dispensa de alguma disciplina?

R: Não. Para alguns casos específicos, você pode ser solicitado a pedir dispensa no lugar de equivalência. Quando enviar o pedido, a pessoa que o atender na CoC orientará caso haja alguma disciplina passível de dispensa.

P: Como faço a conversão de créditos?

R: A forma de conversão adequada está no seu acordo de intercâmbio (DD ou AE) e a CRInt pode informá-lo. De modo geral, os créditos europeus (ECTS) possuem uma taxa de conversão 1,25:1 (1,25 crédito ECTS = 1 crédito Poli). Quando não houver a taxa de conversão no seu acordo de intercâmbio, use a conversão por horas (15h são aproximadamente 1 crédito Poli) e leve em consideração a carga prática (créditos trabalho) e teórica (créditos aula).

P: Como elaboro o plano de retorno para o AE?

R: O AE é como se fosse uma “pausa” nos seus estudos na Poli para cursar disciplinas no exterior. No seu retorno, você precisa cursar todas as disciplinas do seu curso na Poli de onde parou. No entanto, você pode aproveitar todas as disciplinas que cursou no exterior para eliminar disciplinas na Poli solicitando equivalência. Se a equivalência for deferida, você não precisa cursar a disciplina no seu retorno (também é válido para estágio).

P: Como elaboro o plano de retorno para o DD?

R: O cálculo de créditos eliminados no DD depende do acordo. De forma geral, dois anos de DD eliminam um ano na Poli. As situações previstas são:

  • Aluno semestral saindo após cursar o 5º semestre: no retorno cursa o 8º, 9º e 10º semestres previstos na estrutura curricular do curso e é dispensado automaticamente dos 6º e 7º semestres.
  • Aluno semestral saindo após cursar o 7º semestre: no retorno cursa o 10º semestre previsto na estrutura curricular do curso e é dispensado automaticamente dos 8º e 9º semestres.
  • Aluno do quadrimestral saindo após cursar o 1º módulo acadêmico: no retorno cursa os 4º e 5º módulos acadêmicos e 3º e 4º módulos de estágio previstos na estrutura curricular do curso e é dispensado automaticamente dos 2º e 3º módulos acadêmicos e dos 1º e 2º  módulos de estágio.
  • Aluno do quadrimestral saindo após cursar o 3º módulo acadêmico: no retorno cursa o 5º módulo acadêmico previsto na estrutura curricular do curso e é dispensado automaticamente do 4º módulo acadêmico e dos 3º e 4º  módulos de estágio.

Em todos os casos, você precisa continuar o seu curso no retorno e cumprir todos os créditos que ainda faltam. Caso você tenha cursado no exterior uma disciplina que seja elegível para equivalência (e.g. cursou uma disciplina similar a uma que você deveria cursar no retorno mas ela faz parte do DD e, portanto, você não pode solicitar equivalência), a disciplina similar pode ser substituída por outra disciplina do seu curso que ainda não tenha cursado e tenha o mesmo número de créditos. Neste caso, é importante você entrar em contato com a CoC Computação previamente (2 meses antes, com a documentação para o plano de retorno em mãos) para solicitar ajuda.

Caso você tenha saído para intercâmbio de DD em outra situação que não está descrita acima, você não saiu no período do acordo. Nesse caso, entre em contato com a CoC Computação com a documentação para o plano de retorno e em mãos e adicione uma explicação do motivo pelo qual você saiu antes ou depois do previsto.

P: O intercâmbio atrasará minha graduação?

R: Sim. Em média, o DD atrasa sua graduação em um ano e o AE atrasa pelo período que você permanecer no exterior (dependendo da quantidade de disciplinas que lograr equivalência).

P: Cumpri o meu plano de retorno, preciso fazer mais alguma coisa?

R: Se o seu plano não alterou a estrutura do seu curso (i.e. você cursou no retorno exatamente as disciplinas que teria que cursar no(s) semestre(s) ou módulo(s) acadêmico(s) que lhe faltavam), basta solicitar a colação de grau para o serviço de graduação da Poli, como qualquer aluno que não tenha feito intercâmbio. Caso tenha solicitado e obtido equivalência ou tenha trocado créditos de disciplinas similares, você precisa anexar uma carta da CoC explicando o motivo e atestando que você integralizou os créditos do seu curso. Se você precisa da carta de integralização, solicite-a com pelo menos um mês de antecedência. Se você tem dúvidas relativas à integralização do seu curso, veja sua “Evolução no Curso” nos sistemas da USP (junto com seu histórico escolar) ou entre em contato com o serviço de graduação da Poli.

P: Quem delibera sobre casos não previstos?

R: No PCS a CoC Computação, a CoC ainda decide sobre casos não previstos, de acordo com as orientações da CRInt e da CG. Normalmente a CoC elege um professor responsável pela internacionalização (membro da CoC), mas para saber quem é o responsável você precisa entrar em contato com a CoC Computação ou com a secretaria do PCS, pois o professor responsável pode mudar a cada 2 anos.